Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \25\UTC 2015

Cortar a ideia de lua
com a lâmina da língua.
Dizer o mundo não míngua
porque sempre o perpetua.

Extrair da lua cheia
o sumo que não é dito.
Erigir um monolito
feito de sal, ar e areia.

E adorar, por fim, o pó
daquilo que, na linguagem,
me deixa um pouco mais só.

Se houver alguma poesia,
que a minha voz, em viagem,
leve sua melodia.

Matt Cardy - Supermoon

Matt Cardy – Supermoon


http://www.perotachingo.com.ar/

Anúncios

Read Full Post »

A fúria indômita das águas

Vi que a fúria da água é incontida.
Ela invade em silêncio a concretude
de paredes. Alastra-se amiúde.
Não encontra represa nem na vida.

Eu sei que a água em fúria é impelida
a seguir, sem que nunca nada mude
seu ímpeto envolvente. Na inquietude
de seu fluxo, ela quase nos convida

ao seu íntimo, num afogamento.
E não cabem recusas nesta teia
que é, de fato, ordem líquida ou tormento.

Essas vagas arrasam coisas, mágoas
e construções, que somem como areia
cedendo à fúria indômita das águas.

Claude Joseph Vernet - Un naufrage en mer agitée sur la côte

Claude Joseph Vernet – Un naufrage en mer agitée sur la côte

Read Full Post »

A matéria, reunida
na ampulheta do ano-luz,
aprende e se reproduz,
arquiteta, assim, a vida.

A vida, nalgum momento,
de chofre se vê dobrada.
No cérebro conectada
então cria o pensamento.

Não vejo mais os reflexos
da transcendência etérea
das crenças e das essências.

Pelos caminhos complexos,
eu ando a ler na matéria
o Livro das Imanências.

Nebulosa da Ampulheta (MyCn 18)

Nebulosa da Ampulheta (MyCn 18)

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: